Brasil tem 6 cooperativas dentre as 300 maiores do mundo

No último dia 23 de janeiro o World Cooperative Monitor divulgou o relatório Exploring the Cooperative Economy (Explorando a economia cooperativa, em português). Assim, a entidade coletou dados de 4.575 cooperativas em todo o planeta, sendo 3.218 das Américas, 1.152 europeias, 197 da Ásia e do Pacífico e oito africanas.

Dessa forma, o relatório registrou que, juntas, estas cooperativas tiveram um volume de movimentações financeiras de US$ 2,034 trilhões em 2017. A finalidade é mensurar os impactos econômicos e sociais das maiores cooperativas do mundo e sua contribuição para as metas das Nações Unidas de Desenvolvimentos Sustentável (SDGs, na sigal em inglês). Ou seja, a SDG 8, que trata da criação de oportunidades de trabalho dignas e crescimento econômico.

Assim, a distribuição das 300 cooperativas entre os setores de atuação se dá da seguinte maneira:

  • Seguros: 39% (117);
  • Cooperativas agro: 31,7% (95);
  • Consumo (atacado e varejo): 17,7% (53);
  • Bancos e serviços financeiros: 7% (21);
  • Serviços: 1,7% (5);
  • Indústria: 1% (3);
  • Saúde, educação e assistência social: 1% (3)
  • Pesca: 0,7% (2);
  • Habitação: 0,3% (1).

Além disso, a oitava edição do documento trouxe dois rankings com as maiores cooperativas do planeta em volume de negócios. Em um deles, de volume de negócios absoluto, há cinco cooperativas brasileiras. Da mesma forma, no outro, das 300 maiores em volume de negócios per capita, há seis.

Maiores cooperativas em volume de negócio segundo o World Cooperative Monitor

Confira as dez maiores cooperativas do mundo em volume de negócios absoluto:

Pos.CooperativaPaísSegmento econômicoVolume de negócios (em US$ bilhões)Número de empregados
1Groupe Crédit AgricoleFrançaCrédito96,25139.000
2Groupe BPCEFrançaCrédito59,03106.463
3REWE GroupAlemanhaConsumo55,85345.434
4BVRAlemanhaCrédito55,29177.248
5ZenkyorenJapãoSeguros51,696.282
6Nippon LifeJapãoSeguros48,3686.394
7State FarmEUASeguros42,4265.664
8ACDLEC – E. LeclercFrançaConsumo42,01
9Zen-NohJapãoAgro41,377.446
10Nonghyup (NACF)CoreiaAgro38,82100.594

Confira a distribuição geográfica das 300 maiores cooperativas do mundo em volume de negócios de acordo com o World Cooperative Monitor:

World Cooperative Monitor

Maiores cooperativas em volume de negócios brasileiras

Dentre as brasileiras, as cinco cooperativas que aparecem neste ranking são:

Pos. 2017Pos. 2016CooperativaSegmento econômicoVolume de negócios (em US$ bilhões)
5260CopersucarAgro8,86
115120SicrediCrédito4,03
131127CoamoAgro3,29
183187C. ValeAgro2,16
231239Central Nacional Unimed*Saúde1,55

* A Confederação Nacional das Cooperativas Médicas Unimed do Brasil – Central Nacional Unimed aparece, ainda, como a terceira colocada quando o recorte é pelo setor de Educação, Saúde e Assistência Social.

Maiores cooperativas em volume de negócio per capita

Confira as dez maiores cooperativas do mundo em volume de negócios per capita. Ou seja, em função da quantidade de funcionários.

Pos.CooperativaPaísSegmento econômicoVolume de negócios per capita (em US$ bilhões)Número de empregados
1Groupe Crédit AgricoleFrançaCrédito2.488.506,09 139.000
2Gujarat Cooperative Milk Marketing Federation LimitedÍndiaAgro2.266.597,01
3IFFCO (Indian Farmers Fertiliser Cooperative Limited)ÍndiaAgro1.823.659,365.012
4Groupe BPCEFrançaCrédito1526.215,18106.463
5ZenkyorenJapãoSeguros1.348.530,036.282
6Nonghyup (NACF)CoreiaAgro1.305.160,83100.594
7Nippon LifeJapãoSeguros1.261.680,79 86.394
8REWE GroupAlemanhaConsumo1.249.940,90345.434
9BVRAlemanhaCrédito1.237.389,47177.248
10ACDLEC – E. LeclercFrançaConsumo1.086.188,90

Confira a distribuição geográfica das 300 maiores cooperativas do mundo em volume de negócios per capita de acordo com o World Cooperative Monitor:

World Cooperative Monitor

Maiores cooperativas em volume de negócios per capita do Brasil

Então, dentre as brasileiras, as seis cooperativas que aparecem neste ranking são:

Pos. 2017Pos. 2016CooperativaSegmento econômicoVolume de negócios per capita (em US$ bilhões)
1313CopersucarAgro 896,867.11
3030SicrediCrédito 407,541.29
3837CoamoAgro 333,326.62
5553C. ValeAgro 219,103.73
7776Central Nacional UnimedSaúde156,868.28
158144Coop – Cooperativa de ConsumoConsumo70,030.26

Contribuição das cooperativas aos objetivos da ONU

O relatório do World Cooperative Monitor vai além do ranking com as 300 maiores cooperativas do mundo em volume de negócios absoluto e em volume de negócios per capita. Assim, o documento analisa as contribuições das cooperativas ao crescimento econômico e à geração de empregos dignos.

Para tanto, salienta a importância de entender as implicâncias relacionadas ao modelo de negócio cooperativista. Afinal, representam o comprometimento com a mudança de paradigma sócio-econômico em comparação a empresas orientadas ao lucro.

Assim, é possível ver que as cooperativas são realmente diferentes dos novos entrantes, diz o relatório. Ou seja, “uma empresa que almeja a maximização de lucros não pode ser igual a uma cooperativa em que a relação entre propriedade, território e metas sociais é fundamental e inseparável”.

Além disso, o relatório questiona: “As missões sociais e ambientais das empresas orientadas ao lucro são capazes de oferecer as mesmas garantias de empresas fundadas nos princípios do lucro compartilhado?”.

O documento apresenta, ainda, três estudos de casos de cooperativas dentre as 300 maiores que implementaram boas práticas para atingir o SDG 8. Tais cooperativas não se limitaram apenas às suas atividades, mas influenciaram toda a cadeia produtiva.

Isso porque a intenção destes estudos de caso é mostrar que é possível às cooperativas se tornarem líderes setoriais – mesmo concorrendo com empresas tradicionais – sem deixar de lado os princípios cooperativistas.

Assim, os cases apresentados são:

  • Up Group: construindo uma fundação social para todos os colaboradores
  • SOK: consertando a cadeia de suprimentos um tomate por vez
  • KRIBHCO: apoiando fazendeiros e cooperativas na Índia Rural

Acesse o relatório original do World Cooperative Monitor para obter detalhes sobre os cases e os dados.

Conclusões sobre o World Cooperative Monitor

Ao longo deste texto vimos que as cooperativas têm potencial de contribuir para a construção de uma sociedade mais justa. Ou seja, com geração de empregos dignos e com respeito ao meio ambiente.

Além disso, vimos que há seis cooperativas brasileiras dentre as maiores do mundo em volume de negócios. Assim, nós gostaríamos de saber o que você achou desse post. Da mesma forma, também gostaria de te pedir para compartilhar este conteúdo com sua rede de contatos. Então, vamos espalhar os benefícios do cooperativismo para torná-lo cada vez mais forte.

Dessa forma, cada vez mais precisamos nos empenhar para atrair e engajar jovens no cooperativismo e investir em programas de inovação no cooperativismo. Ou seja, temos que disseminar as possibilidades trazidas pelas plataformas cooperativas em contraponto à gig economy.

Então até a próxima!