Start.Coop seleciona startups cooperativas para programa de aceleração

Após receber mais de 70 inscrições de toda a América do Norte, a Start.Coop selecionou 6 cooperativas para o seu programa de aceleração de startups cooperativas.

A cohort atual inclui empresas de propriedade compartilhada que variam de plataforma para músicos, que permite que os artistas sejam apoiados diretamente pelos seus fãs, a uma startup de tecnologia que visa aumentar o acesso a imóveis para militares da ativa.

Sediada em Boston (EUA), a Start.Coop acelera o desenvolvimento da próxima geração de startups cooperativas. A aceleradora oferece conhecimento, ferramentas e financiamento necessários para construir negócios que compartilham propriedade.

O programa inclui investimento de 18 mil dólares e orientação contínua de uma comunidade de especialistas. Após a formação, as startups cooperativas – também chamadas de cooptechs – devolvem o investimento à Start.Coop com uma porcentagem de sua receita futura. Um exemplo de cooperativa formada pela Start.Coop é a Savvy, que recentemente recebeu investimento de venture capital.

“Estamos vendo uma enorme validação de nossa abordagem, com consultas de todo o mundo sobre como aceleramos o crescimento de empresas de propriedade compartilhada e cooperativas de plataformas“, afirma Greg Brodsky, fundador e co-diretor da Start.coop. 

“Depois de receber tantos aplicativos, tivemos algumas escolhas realmente difíceis de fazer este ano, mas finalmente selecionamos as principais equipes com base em sua capacidade de escalar, seu potencial de impacto social e a experiência de seus fundadores e o conhecimento do setor”, completa Brodsky.

Normalmente, as startups cooperativas selecionadas concluem um intenso programa de 12 semanas no qual obtêm acesso a treinamentos, mentores e ferramentas estratégicas para ajudar a transformar e escalar seus negócios.

A importância das cooptechs em meio à crise

Com sua abordagem baseada em cohort, o programa ajuda as startups cooperativas a aprenderem umas com as outras, testarem seus modelos de negócios e crescerem mais rapidamente. Este ano, devido à pandemia da Covid-19, o programa foi iniciado de forma virtual e passará para o aprendizado colaborativo presencial quando for seguro fazê-lo.

“É realmente um momento difícil para iniciar um negócio, bem no meio de uma pandemia, mas essa crise destacou ainda mais as grandes desigualdades em nossa sociedade e a necessidade de modelos de negócios que compartilhem a propriedade e a geração de riqueza com aqueles tradicionalmente deixados de fora“, explica Jessica Mason, co-diretora da Start.Coop.

Segundo o fundador Greg Brodsky, se você se preocupa com a desigualdade econômica, a propriedade cooperativa ou compartilhada deve ser o seu modelo de propriedade preferido. 

A propriedade compartilhada desbloqueia economias de escala – especialmente para grupos historicamente desfavorecidos – e tem um potencial incrível para reverter a desigualdade para a próxima geração. Estamos empolgados em destacar a próxima geração de startups cooperativas e compartilhar as ideias, sucessos e lições aprendidas com nosso primeiro grupo de aceleradores”, afirma Brodsky.

A Start.Coop investe em empreendedores em estágio inicial que buscam escala e impacto social usando modelos de propriedade compartilhada. Além disso, é considerada a primeira aceleradora de cooptechs dos EUA. Saiba mais sobre a Start.Coop.

Startups cooperativas selecionadas

A Ampled (Nova York, NY) é uma plataforma que permite que artistas da música sejam apoiados por sua comunidade com pagamentos diretos e recorrentes. Propriedade 100% de seus artistas, trabalhadores e comunidade, a Ampled permite que os fãs apoiem diretamente seus músicos favoritos em troca de conteúdo e experiências exclusivas.

A Forty Acre Co-op (Rutledge, MN) é uma agtech de propriedade de agricultores, fazendeiros e produtores urbanos. A cooperativa produz sementes de cânhamo de qualidade superior, faz parceria com os agricultores para cultivá-las e agrega o processamento de produtos de cânhamo com valor agregado.

O Money Positive (Austin, Texas) é uma cooperativa de serviços de planejamento financeiro. A startup cooperativa usa uma plataforma de software proprietário que permite que seus planejadores financeiros ajudem os clientes a criarem orçamentos intuitivos e estratégias personalizadas para suas economias, dívidas e investimentos. Tudo por uma fração do preço de um planejamento financeiro tradicional.

A Tootie’s Tempeh (Portland, ME) é uma cooperativa dedicada a fornecer tempeh orgânico, à base de plantas e rico em proteínas. É o primeiro produtor comercial de tempeh a fermentar sem sacolas plásticas, a embalar com materiais recicláveis ​​e baseados em plantas e a expandir por meio de um modelo de cooperativa/franquia regional.

A Turning Basin Labs (San Francisco, CA) é uma agência cooperativa de gestão de pessoas que apoia negócios progressivos da Bay Area, fornecendo, alocando e apoiando trabalhadores temporários que buscam estabilidade. A base da cooperativa é o compromisso com a diversidade, a equidade e a inclusão para os trabalhadores. Em geral, a agência trabalha para aumentar a renda, as oportunidades e os direitos dos trabalhadores

A UPROOT Homes (Princeton, NJ) aumenta o acesso à casa própria para profissionais altamente móveis, como dos serviços militares dos EUA. A fintech permite que sucessivos proprietários de imóveis de curto prazo trabalhem juntos para pagar uma única hipoteca, tornando-se uma alternativa ao sistema de habitação militar privatizado.