fbpx
Início Tecnologia e inovação Conexão com startups: OCB lança programa para as cooperativas brasileiras

Conexão com startups: OCB lança programa para as cooperativas brasileiras

O Sistema OCB lançou nesta segunda-feira, 10 de maio, o programa InovaCoop Conexão com Startups. Uma iniciativa que já nasce abrangente por permitir a participação de todas as cooperativas singulares, centrais, confederações e federações sediadas no Brasil, registradas e regulares com a OCB.

O objetivo do programa é conhecer os desafios de inovação das cooperativas e, então, identificar startups que possam buscar soluções e se tornarem fornecedoras ou parceiras de negócios.

“Assim, aproximando essas duas pontas e combinando o que cada uma pode oferecer de melhor, o Sistema OCB pretende contribuir com o desenvolvimento da cultura da inovação dentro do setor, consolidando as iniciativas de sucesso e disseminando as oportunidades de inovação. Aliás, vale ressaltar que esses aspectos fazem parte das diretrizes estabelecidas no Congresso Brasileiro do Cooperativismo, realizado em maio de 2019”, disse, ao portal InovaCoop, a coordenadora do núcleo de inovação do Sistema OCB, Samara Araujo.

Programa InovaCoop Conexão com Startups

Como funciona o programa

O programa começa com a submissão, pelas cooperativas, de seus desafios de negócios. É importante que estes desafios tenham potencial de contribuir para o desenvolvimento de outras cooperativas do Sistema OCB. 

Segundo o regulamento do programa, a OCB selecionará os desafios com maior relevância, transversalidade, maior probabilidade de solução e que possa beneficiar ao menos cinco cooperativas.

As cooperativas inscritas precisam ter capacidade de aportar um valor equivalente a 30% do total do projeto piloto. A OCB, por sua vez, irá complementar com os 70% restantes. 

Podem se inscrever startups com Produto Mínimo Viável (“MVP”- Minimum Viable Product) desenvolvido ou que tenham interesse em co-desenvolvimento da solução com as cooperativas responsáveis.

O formulário de inscrição, tanto para cooperativas como startups, está disponível na página do programa. Ao final do programa, cooperativas e startups, de comum acordo, poderão dar continuidade na sua relação comercial em formato de fornecimento ou parceria estratégica. Assista ao vídeo para saber mais: 

Conexão com startups: o que é e quais os benefícios?

O programa da OCB é mais um sinal de como a conexão com startups tem se mostrado um importante caminho na busca por soluções inovadoras, fora dos muros das empresas. E além disso, a troca cultural entre cooperativas e startups pode ser benéfica para ambas. 

Mas você sabe como funciona a conexão com startups?

Antes de tudo, vale ressaltar que este tipo de relacionamento é um pilar essencial da Inovação Aberta, que traz inúmeros benefícios para as cooperativas. 

Uma iniciativa de open innovation pode, por exemplo:

  • reduzir o tempo entre o desenvolvimento e a comercialização de um novo produto ou serviço; 
  • expandir para novos mercados; 
  • diminuir o custo em algumas etapas; 
  • gerar ideias e conhecimentos sem pressionar a equipe interna; 
  • entre outras coisas.

E ao se conectar com startups, seja por meio de programa próprio ou de parceiros, ocorre, de fato, uma relação ganha-ganha. Prova disso é que já temos vários exemplos de conexão entre cooperativas e startups

A cooperativa só tem a ganhar ao trazer para si atributos que estão no DNA das startups, como: 

  • criatividade e inovação para propor soluções; 
  • ousadia para errar, corrigir rápido e refazer; 
  • gestão eficiente do tempo; 
  • mais facilidade para lidar com problemas e crises; 
  • maior receptividade ao uso de novas tecnologias; 
  • capacidade de aprender rápido; 
  • time diverso.

Tudo isso e muito mais pode ser incorporado à estrutura de uma cooperativa em caso de conexão com startups.  

Conexão com startups no Sicredi

Às vezes, os resultados podem ser tão positivos que uma iniciativa pontual pode se tornar permanente, como ocorreu com o programa Inovar Juntos, do Sicredi, que passou de um evento pontual de conexão com startups para um processo permanente de relacionamento.

Com três anos de vida e cerca de R$ 1 milhão de investimentos no período, a iniciativa tem números surpreendentes: conectou o Sicredi com mais de 500 startups e gerou mais de R$ 120 milhões em negócios até o início de 2021.

“Os aprendizados das edições iniciais e o amadurecimento do ecossistema de startups no Sicredi e também no Brasil, nos permitiu enxergar algumas oportunidades e experimentarmos ciclos mais flexíveis, gerando assim uma aceleração na cultura dos times em buscar conexões com startups para resolução de problemas ou explorar oportunidades de digitalização dos produtos e serviços”, explica Dagoberto Trento, gerente de Estratégia e Inovação do Sicredi.

Você pode saber mais sobre este e outros cases de relacionamento com startups no Radar da Inovação, no InovaCoop, que conta com a parceria da Coonecta na produção dos conteúdos. 

Inovação aberta e conexão com startups em alta no Brasil

O programa de conexão da OCB chega em um momento em que o tema está em alta no país. Em alta mesmo, alcançando um crescimento de quase 20 vezes nos últimos cinco anos, segundo dados da 100 Open Startups, plataforma que conecta startups a organizações de diversos setores no país. 

Em 2016, o mercado brasileiro possuía apenas 82 organizações com iniciativas de inovação aberta. Já em 2020 esse número saltou para 1.635 companhias. Em geral, oito em cada dez executivos buscam parcerias com startups para encontrar soluções inovadoras para as suas companhias.  

“O ranking mede o relacionamento das grandes empresas com as startups e constata a consolidação desse mercado. Open innovation já é uma realidade no país e vem crescendo exponencialmente porque existe um mercado real, que é comprovado pelos números apresentados”, disse Bruno Rondani, fundador e CEO da 100 Open Startups, ao site da Forbes.

Ainda segundo a plataforma, os setores que mais atuam com inovação aberta no Brasil são serviços financeiros, energia e alimentos & bebidas. Ao todo, o estudo mapeou 33 setores com densidade de pelo menos seis organizações que fizeram inovação aberta com startups.

No cooperativismo, a inovação aberta também é uma realidade, com iniciativas em diversos ramos. Podemos destacar, por exemplo, o case do Sicoob Empresas RJ, que começou a olhar para o tema ainda em 2016 – período em que a tendência começou a virar realidade, como demonstra o próprio estudo da 100 Open Startups. 

E de lá para cá o setor tem cada vez mais iniciativas, como é o case de InPulse Ailos, Vibee, Digital Agro Connection, Cocamar Labs e tantos outros. 

Se você deseja saber mais sobre o tema conexão com startups, confira os conteúdos produzidos pelo InovaCoop em parceria com a Coonecta:

E veja também como criar uma cultura de inovação na sua cooperativa!