Educação corporativa: como implantar um EAD

A transformação digital já é tão presente em nossa vida diária que fica até fácil esquecer como as coisas eram antes das soluções digitais que usamos todos os dias.

Um exemplo disso é a revolução do aprendizado que a digitalização do mundo trouxe. Enquanto as escolas tradicionais continuam sendo alvo de duros debates por conta de sua baixa eficácia em produzir pessoas capazes de trabalhar com excelência, o ensino online só cresce.

Educação corporativa: como implantar um EAD na prática
E

E a sua cooperativa também precisa entrar nesse movimento se quiser continuar evoluindo. Mas aí vem a pergunta: como implantar um EAD que funciona? Neste artigo eu vou te mostrar tudo que você precisa saber sobre isso.

EAD para educação corporativa: o que é e como funciona

Uma prova de que o ensino online só cresce nos últimos anos é a Hotmart. A empresa, que é uma das maiores plataformas de ensino online do Brasil, abriu 400 novas vagas de trabalho em plena pandemia de Covid-19.

Pessoas que nunca tinham ouvido falar em EAD hoje estudam para aprender novas profissões e criar seus próprios negócios com essa solução.

Mas, em primeiro lugar, o que é um EAD? O termo se refere a “Ensino à Distância”, solução de aprendizado em que os alunos não precisam estudar num local físico específico. 

Qualquer tipo de curso ou treinamento online é considerado EAD, como as soluções de microlearning. E como tudo isso funciona?

Existem várias plataformas de EAD disponíveis no mercado, e até empresas com soluções personalizadas para clientes corporativos.

Assim, você pode tanto montar uma escola própria ou aderir a uma plataforma de terceiros que tenha o que a sua cooperativa precisa para se desenvolver.

Qual é a melhor escolha nesse caso? Bem, isso depende de alguns fatores, que vou explicar a partir de agora.

Como implantar um EAD: escola online própria ou terceirizadas

Essa dúvida é bastante comum em cooperativas que pensam em como implantar um EAD, e para tomar essa decisão, há duas coisas que você precisa levar em conta:

1. Nível de personalização que você busca

A primeira coisa a levar em consideração é o nível de personalização que você busca. Como assim?

Pense no seguinte:

Se a sua cooperativa deseja criar a melhor experiência de EAD que existe, talvez isso inclua alguns itens que não são prioridade para a maioria das outras instituições. 

Ou seja, as plataformas terceirizadas não terão tudo o que você precisa pronto para entrega.

Então, você precisa construir algo do zero ou contratar uma plataforma que faça os ajustes necessários. 

Por outro lado, se você prioriza agilidade e quer colocar os funcionários para aproveitar o EAD o mais rápido possível, é melhor aproveitar uma solução pronta.

2. Seu orçamento para o projeto

O segundo item a considerar é seu orçamento para implementar o EAD. Afinal, mesmo que o seu desejo seja criar a experiência de ensino à distância mais completa e imersiva, seu orçamento é que diz quanto será possível fazer de verdade.

Quanto maior o nível de personalização, mais caro e demorado é o projeto. Então, fazer um balanço entre esses dois fatores é o que vai ajudar você a tomar a decisão certa.

Mas e se você ainda não tem certeza? Comece com uma plataforma já pronta e observe os resultados. Assim, fica mais fácil entender as necessidades reais da sua cooperativa com relação ao EAD.

Aliás, você sabia que aqui na Coonecta nós temos uma escola para cooperativas? Há cursos e casos práticos para você inovar sem perder o DNA cooperativista, além de consultoria de conteúdo para aumentar seu alcance e engajamento.

Escola Coonecta para cooperativas

Desde cursos grátis a soluções mais completas, você pode usar nossa experiência e conhecimento em ensino online tanto na nossa plataforma como na sua. Aliás, parte desse conhecimento envolve saber como implantar um EAD que funciona. Veja agora como fazer isso.

Como implantar um EAD que funciona: o passo a passo para fazer isso na sua cooperativa

O processo de colocar uma plataforma de EAD para funcionar, quer você use uma plataforma de terceiros ou a sua própria, envolve vários elementos. Por isso, eu montei um passo a passo prático para garantir que o seu EAD funcione de forma completa.

Então, você precisa fazer o seguinte:

  1. Definir o objetivo final: o que seu EAD vai ensinar? Pode ser processos internos, onboarding de funcionários novos, especialização para os mais experientes, soft skills para novas funções ou tudo isso junto. Apenas defina o objetivo claro do EAD.
  2. Estabelecer o escopo do projeto: é o exercício que apontei antes, em que você compara o nível de personalização desejado com o orçamento. Isso vai ajudar a definir qual plataforma escolher.
  3. Montar um plano do conteúdo: aqui ainda não é o conteúdo final. Apenas monte um plano básico para definir o formato das aulas e o tipo de solução de ensino que precisa na plataforma.
  4. Escolher a plataforma: com base nos 3 primeiros itens, você pode escolher uma plataforma, própria ou terceirizada, que seja capaz de atender a sua necessidade.
  5. Produzir o conteúdo definitivo: agora sim, com a plataforma escolhida, é hora de produzir o conteúdo final, seja em texto, áudio, imagem, vídeo ou tudo junto.
  6. Implantar a solução: com o conteúdo pronto, é hora de colocar tudo na plataforma, dividir em módulos e testar.
  7. Engajar os alunos: por fim, é preciso engajar os alunos a usar a solução que você preparou.

Aliás, a partir de agora, vamos falar sobre como garantir que você consiga cumprir com o item 7.

Como gerar e manter o engajamento dos alunos no EAD

Não é porque é de graça que todo mundo vai correr para usar sua nova solução de ensino. Assim, parte de entender como implantar um EAD que funciona é ser capaz de engajar os alunos.

Então, aqui estão 3 dicas simples e práticas para você aplicar agora:

  1. Destaque o valor do conhecimento, não o preço da ferramenta: não fale quanto custou ou quanto foi difícil implantar o EAD. Fale sobre o valor de aprender o que está na plataforma.
  2. Deixe claro que a solução está em teste: mostre que está atento às sugestões e críticas para melhorar o que for preciso. Assim os alunos se sentirão mais motivados a testar.
  3. Torne as aulas interativas: mesmo com aulas gravadas é possível ter interação. Dê exercícios práticos para os alunos e abra um canal de suporte para ajudá-los. Isso vai engajar muito mais do que aulas sem valor prático.

Viu como implantar um EAD pode ser mais simples do que parece? O segredo está em ter a direção correta no processo, e isso você tem com as dicas que viu aqui. Por isso, não pule etapas, e se precisar de ajuda com seu EAD, pode falar conosco por aqui.