Tendências para melhorar a comunicação com o cooperado

Melhorar a comunicação com o cooperado deve ser uma das prioridades de qualquer cooperativa. Afinal, os preceitos do cooperativismo ainda são pouco difundidos se considerarmos seu tamanho e importância.

A comunicação com o cooperado se torna ainda mais importante no atual contexto da transformação digital. Mas o que uma coisa tem a ver com a outra? 

Tudo! Afinal, a era digital quebrou barreiras e criou um ambiente global de acesso à informação de forma imediata. Assim, as pessoas – e os cooperados – demandam cada vez mais transparência na comunicação com as empresas.

E todo cooperado quer saber o que se passa na cooperativa da qual ele faz parte e/ou trabalha para desenvolver. Por isso, neste artigo eu vou mostrar exemplos de como melhorar na comunicação com o cooperado e algumas tendências para lhe inspirar.

Comunicação no cooperativismo

Em primeiro lugar, vale destacar que a comunicação no cooperativismo precisa melhorar já na base. Ou seja, em divulgar o conceito de cooperativismo para a sociedade como um todo. Algumas estratégias, como o movimento SomosCoop, do sistema OCB, têm ajudado muito nesse sentido.

Mas, ainda assim, é preciso ampliar a divulgação do que é o cooperativismo e tornar o conceito mais popular. Assim, o setor pode crescer ainda mais no Brasil. E quem melhor para ajudar a divulgar o cooperativismo do que os próprios cooperados?

Então, melhorar a comunicação com o cooperado é também uma forma de garantir o desenvolvimento da cooperativa . Hoje em dia cada vez mais pessoas buscam comprar de marcas que têm propósito e defendem valores sociais. Com isso, o cooperativismo tem grandes chances de crescer no país. 

E isso fica muito mais fácil quando os cooperados são engajados e mantêm boa comunicação com as cooperativas.

Veja 8 exemplos de comunicação com o cooperado

Construir uma narrativa forte em torno do que a sua cooperativa faz é um desafio e tanto. Mesmo com valores nobres, nem sempre é fácil definir uma identidade de comunicação que chame a atenção do público.

Mas existem várias exemplos com os quais vale a pena aprender. Usando como referência o Documento-Base do 14º Congresso Brasileiro do Cooperativismo (CBC), listamos algumas cooperativas que foram capazes de se posicionar de forma assertiva em suas comunicações.

1. Organic Valley

A Organic Valley é uma marca americana que fala de suas escolhas e postura de forma simples e autêntica. Em vez de complicar a mensagem, a marca prefere adotar um tom claro e honesto, criando conexão com cooperados e clientes.

2. Cooperatives for a Better World

Essa ONG reúne um grupo de cooperativas que promove modelos de negócios colaborativos e se posiciona como fonte de empoderamento das comunidades. Em outras palavras, a marca assume a luta contra a desigualdade. O tom da mensagem é sempre focado na esperança e no sonho de uma vida melhor, com vídeos de histórias reais e conteúdo inspirador.

3. Cooperatives UK

A Cooperatives UK representa as cooperativas no Reino Unido e tem como foco uma comunicação mais prática e objetiva. Eles usam argumentos bem racionais e uma linguagem visual simples para espalhar a mensagem sem distrações.

4. Cooperative Bank

Essa organização da Nova Zelândia luta contra um “inimigo” bem conhecido: os grandes bancos. 

Assim, contrapõe os ideais que considera “egoístas” dos bancos comuns com o cooperativismo, onde os associados são donos e parceiros da empresa. Isso quebra o padrão do mercado financeiro e chama atenção para a marca do Cooperativa Bank.

5. Coop Italia

A Coop Italia aposta em dizer que é a solução do futuro, e une experiências analógicas e digitais para criar um ambiente futurista. Isso foi possível pelo fato da cooperativa ouvir o que os clientes queriam e trabalhar com os cooperados para se tornar uma gigante do varejo na Itália.

6. Coopfam

A Coopfam defende uma corrente do bem em que cada membro pode trabalhar junto e ajudar a comunidade. Ela se posiciona como uma cooperativa de agricultores que acredita no comércio justo e na agricultura familiar, orgânica e sustentável. A marca também defende a mentalidade como fator de mudança para todos os envolvidos na cadeia de produção.

7. Sistema Ailos

Em 2018, o sistema CECRED iniciou uma nova estratégia de comunicação com um novo nome e estrutura de marca, criando o Sistema Ailos. Por meio de um visual mais fresco e um posicionamento de transformar o mundo, eles engajam os cooperados e atraem mais gente interessada nos valores do cooperativismo que a marca promove.

Fique por dentro de 3 tendências de comunicação com o cooperado

A pandemia de Covid-19 alterou a forma como a maioria das organizações trabalha, e não foi diferente com as cooperativas. Assim, algumas atividades que eram presenciais agora passam a ser online, e isso também muda a comunicação com o cooperado.

Por isso, veja agora algumas das tendências de comunicação com o cooperado que devem se tornar mais recorrentes:

1. Assembleias digitais

As assembleias digitais trazem desafios, mas também oportunidades para as cooperativas. Pela facilidade de participação, já tornam a relação com os cooperados mais aberta, principalmente para cooperativas que têm um forte atuação digital.

É muito provável que essa forma de se relacionar continue mesmo depois de a pandemia de Covid-19 passar, pois torna a comunicação mais ágil e prática.

2. Experiência digital do cooperado

Outra tendência que está mudando muito a forma como as cooperativas se comunicam com seus cooperados é a criação de uma experiência digital melhor. 

O Sicoob, por exemplo, mudou a experiência digital dos cooperados em vista do grande número de pessoas que usam os canais digitais para se manter informado sobre o dia a dia da cooperativa.

Sicoob melhora experiência digital para engajar cooperados

Isso mostra como as marcas precisam colocar a tecnologia a favor das pessoas. Ou seja, é preciso usar os recursos digitais para tornar a comunicação mais simples e fácil para os cooperados.

3. Conteúdo de alta qualidade

Além de criar experiências digitais e usar boas ferramentas, é importante criar conteúdo nas mídias digitais. Afinal, se o cooperado usa tanto a tecnologia, também vai usá-la para consumir informação e aprender.

Então, seja por meio do microlearning ou de outras abordagens, uma tendência do momento é criar conteúdo relevante que se alinhe aos valores e produtos da marca. Isso vai ajudar tanto o cooperado quanto os clientes a se aproximarem da cooperativa.

Assim, fica claro que a comunicação com o cooperado nunca foi tão importante para o desenvolvimento das cooperativas quanto é agora.

A evolução digital e as restrições da pandemia deixam ainda mais evidente a necessidade real de criar canais de diálogo ágeis e práticos. Além disso, é vital manter o cooperado engajado por meio da transparência e troca de ideias.

Veja agora 7 passos para educar, comunicar e engajar no ambiente digital. São dicas práticas e objetivas para qualquer cooperativa.