fbpx
Início Gestão e governança Conheça os números do cooperativismo no Brasil

Conheça os números do cooperativismo no Brasil

Estamos diante de um cenário cada vez mais favorável aos princípios cooperativistas. Chama atenção, por exemplo, a preferência por trabalhar e consumir de organizações que não visam exclusivamente ao lucro, mas que tenham, acima de tudo, propósito e valores bem definidos. E isso as cooperativas têm de sobra. 

Na prática, isso significa uma realidade bastante positiva para o cooperativismo no Brasil. O recém-divulgado Anuário Brasileiro do Cooperativismo, produzido pelo Sistema OCB, aponta, por exemplo, que o setor alcançou a marca de 17,2 milhões de cooperados em 2020, um aumento de 11% em relação a 2019, quando foram registrados 15,5 milhões de cooperados.

Ou seja, mesmo em meio à pandemia, tivemos uma demonstração clara de que o cooperativismo tem sido visto como um modelo de negócio vantajoso. Neste post, nós vamos entender um pouco mais sobre o cooperativismo no Brasil e os principais números do setor. 

Números do cooperativismo no Brasil

Segundo o Anuário do Sistema OCB, o setor reúne 4.868 cooperativas distribuídas em todas as unidades da federação, atuantes nos sete ramos do cooperativismo. Tal número se refere às cooperativas com registro ativo na OCB até 31/12/20.

Cabe ressaltar, porém, que é um resultado inferior ao registrado em 2019, quando o setor possuía 5.314 cooperativas singulares. Mas, segundo a OCB, a diminuição se deve ao movimento no mercado para ganho de eficiência e escala com redução de custos, caminhando para fusões e incorporações.

Por outro lado, mesmo diante da crise, o cooperativismo continuou gerando empregos. Em 2020, o setor somou 455 mil empregos diretos, um aumento de 6% em relação a 2019.

E os números positivos não param por aí. Em 2020, o setor registrou:

  • Ativo total de R$ 655 bilhões, um aumento de 33% em relação a 2019;
  • Patrimônio líquido de R$ 145 bilhões, 15% maior em comparação ao ano anterior;
  • Injeção nos cofres públicos de mais de R$ 13 bilhões em tributos, valor 19% maior que o contribuído em 2019;
  • Pagamento de mais de R$ 18 bilhões em salários e outros benefícios aos colaboradores.

No gráfico abaixo, você encontra a comparação dos números de 2019 para 2020:

Imagem: Sistema OCB

Portanto, mesmo em um momento tão delicado, o cooperativismo no Brasil mostrou sua força e importância. Por isso, como sempre ressaltamos, por meio de uma gestão democrática, constante adaptação e inovação, o cooperativismo pode ser ainda mais protagonista da nova economia. 

E não podemos esquecer da resiliência, que é uma das principais características do cooperativismo. Das 4.868 cooperativas atuantes no país, 2.442 possuem mais de 20 anos de atuação no mercado.

Mulheres no cooperativismo

Ao analisar os números do cooperativismo no Brasil, é importante destacar a representatividade feminina. Dos 17,2 milhões de cooperados do setor, 40% são mulheres, o que representa um aumento de 2 pontos percentuais em relação ao ano anterior.

O gráfico abaixo demonstra a distribuição por gênero nos sete ramos do cooperativismo:

Imagem: Sistema OCB

Como podemos ver, a representatividade feminina se destaca na Saúde, alcançando 53% dos cooperados do ramo. Outro dado interessante é que o Ceará é o estado onde a participação das mulheres no número de cooperados supera a masculina, correspondendo a 56% do quadro social.

Mas quando olhamos para a distribuição por gênero dos dirigentes, notamos que ainda há muito espaço para conquistar quando o assunto é liderança.

Em 2020, na média, apenas 17% das mulheres ocupavam cargos de presidência ou vice-presidência nas cooperativas, conforme mostra o gráfico abaixo:

Imagem: Sistema OCB

Porém, a força de trabalho feminina representou 39% do total dos funcionários das cooperativas em 2020. Um aumento de 4 pontos percentuais em relação a 2019.

Além disso, a parcela de mulheres empregadas supera a dos homens em quatro dos sete ramos do cooperativismo. A participação delas é maioria na mão de obra das cooperativas de Saúde (72%), Trabalho, Produção de Bens e Serviços (65%), Consumo (55%) e Crédito (53%).

Panorama dos ramos do cooperativismo no Brasil

O Anuário Brasileiro do Cooperativismo traz também um panorama completo de todos os ramos do cooperativismo no Brasil. Nos ramos Saúde e Crédito, por exemplo, destaque para o crescimento do número de cooperados: na Saúde, o número passou de 275 mil em 2019 para mais de 409 mil em 2020; no Crédito, passou de 10,7 milhões para 11,9 milhões de cooperados.  

Já no ramo Agro, o faturamento das cooperativas agropecuárias cresceu 30,5%, para R$ 239,2 bilhões. As sobras chegaram a R$ 9,6 bilhões, uma alta de 74,5% ante 2019. Além disso, o cooperativismo agro devolveu R$ 8,5 bilhões aos cofres públicos em impostos em 2020, valor 30% maior do que o registrado em 2019. 

Veja a seguir um resumo dos ramos do cooperativismo no Brasil:

Imagem: Sistema OCB

Para acessar o Anuário Brasileiro do Cooperativismo na íntegra, clique aqui.