Gestão de cooperativas: a importância do alinhamento estratégico com as ações de inovação

Designed by Freepik

Este é o segundo vídeo da série por que as organizações falham ao inovar com foco no desenvolvimento da gestão de cooperativas. No primeiro vídeo, abordamos a Escola de Futurismo e as premissas que ela adota para os seus sistemas de inovação.

Agora, o especialista Alexandre Carrasco, consultor organizacional nas áreas de estratégia, diagnóstico organizacional, inovação e melhoria de processos, explica a importância do alinhamento estratégico com as ações de inovação.

Geralmente, a falta de clareza do que se espera da inovação é uma das principais falhas do processo como um todo, gerando, assim, resultados ruins para a gestão de cooperativas. É comum ver as organizações organizarem ações desconexas com a sua estratégia, como realização de hackathons e parcerias com startups e isntitutos de pesquisa.

O tema é tratado no vídeo abaixo.

Alexandre Carrasco ensina Estratégias de Inovação para otimizar a gestão de cooperativas

Alexandre Carrasco atua como consultor organizacional nas áreas de estratégia, diagnóstico organizacional, inovação e melhoria de processos.

Possui mais de 18 anos de experiência como executivo e consultor em organizações como AES Brasil, Elektro e Bureau Veritas onde liderou iniciativas de melhorias da gestão que resultaram em relevantes ganhos operacionais e financeiros, certificações e importantes premiações nacionais e internacionais, como PNQ e Prêmio Ibero-americano da qualidade.

Carrasco tem Mestrado em Gestão (ISCTEIUL/Lisboa), Pós- MBA em Inteligência Empresarial (FGV), MBA em Gestão Global (FGV/ISCTE-IUL/Lisboa), MBA em Gestão Empresarial (FGV) e graduação em Tecnologia Elétrica (Universidade Mackenzie), além de diversas certificações relacionadas a auditorias de sistemas de gestão, excelência operacional e facilitação.

O trabalho que ele realiza se baseia em teorias como pensamento sistêmico (Peter Senge), Teoria U (Otto Scherer), conceitos de inovação e mudanças de modelos de gestão conciliando a competência técnica com aspectos humanos e sociais necessários à consecução de resultados sustentáveis e duradouros.