Gestão de cooperativas: a inovação pode estar dentro de casa

Chegamos ao terceiro vídeo da série “por que as organizações falham ao inovar“, com foco no desenvolvimento da gestão de cooperativas. No vídeo anterior, falamos sobre a importância do alinhamento estratégico com as ações de inovação.

A série de vídeos foi gravada pelo especialista Alexandre Carrasco, consultor organizacional nas áreas de estratégia, inovação e melhoria de processos.

No vídeo a seguir, Carrasco destaca a dificuldade da gestão de cooperativas em reconhecerem as suas capacidades internas.

Segundo ele, às vezes, as empresas têm o necessário para iniciar qualquer processo de inovação, mas nem sempre têm ciência disso. Por isso, é comum a gestão da cooperativa tratar a inovação como apêndice, ou seja, criando uma área específica com novos colaboradores.

Não que isso esteja errado (e não está), mas talvez a gestão das cooperativas consiga desenvolver a inovação olhando para dentro de casa, com menos investimentos e com pessoas que já conhecem a organização.

Estratégias de inovação para otimizar a gestão de cooperativas

Alexandre Carrasco atua como consultor organizacional e tem mais de 18 anos de experiência como executivo e consultor em organizações como AES Brasil, Elektro e Bureau Veritas, onde liderou iniciativas de melhorias da gestão que resultaram em relevantes ganhos operacionais e financeiros.

O trabalho que ele realiza se baseia em teorias como pensamento sistêmico (Peter Senge), Teoria U (Otto Scherer), conceitos de inovação e mudanças de modelos de gestão conciliando a competência técnica com aspectos humanos e sociais necessários à consecução de resultados sustentáveis e duradouros.